O que aconteceu com os corpos de Enoque e Elias?

Sua dúvida é se Enoque e Elias, que foram arrebatados, estariam hoje no céu no mesmo corpo em que habitavam na terra? Não, porque um corpo humano não glorificado não poderia viver no céu. O único em corpo de carne e ossos agora lá é também o único que ressuscitou e foi glorificado, Jesus, as primícias (ou primeiros frutos) dos que dormem. Então de algum modo Deus, em algum momento do arrebatamento de Enoque e Elias, deu um jeito em seus corpos e a Bíblia não diz como isso foi feito. Mas, como isso aconteceu antes da ressurreição de Jesus, é certo que eles não subiram em corpos ressuscitados ou transformados porque Cristo precisaria antes ser o primeiro neste sentido.

Mas se a dúvida parasse aí, tudo bem. Acontece que temos o caso de Elias, aparecendo em corpo glorificado ao lado de Moisés e Jesus no monte da transfiguração (Mt 17; Marcos 9; Lc 9). Então a dúvida fica até maior, pois deveríamos perguntar também: Em que corpo Jesus apareceu ali, se ele ainda não tinha morrido, ressuscitado e sido glorificado? Bem, aparentemente não era em seu corpo natural, pois ele brilhava em glória e isso nada tinha a ver com o Servo humilde que veio habitar aqui, que não tinha aparência nem formosura (Isaías 53), que padecia fome e sede (Jo 4), ao qual nem mesmo os soldados que foram prendê-lo conseguiam identificar, daí a necessidade do beijo de Judas para lhes indicar quem era Jesus (Mt 26). Mas também não era em um corpo ressuscitado como o que Tomé tocou (Lc 24), e nem glorificado como o que ele está agora na glória e foi visto por Estêvão (At 7). Ou será que era?

Primeiro, é bom lembrar que muitos anjos já apareceram em um corpo visível na terra, começando por Satanás na forma de uma serpente (Gn 3). Depois temos o caso dos anjos que deixaram sua posição e condição tomando para si mulheres e gerando nelas os valentes da antiguidade (Gn 6). Também temos o caso do anjo Gabriel que visitou Maria, e também o próprio Senhor que apareceu várias vezes em forma visível no Antigo e Novo Testamentos, às vezes identificado como “o anjo do Senhor”. Anjos também foram vistos como “homens” — em forma humana — ao longo de toda a Bíblia, dois deles tendo sido assediados pelos habitantes de Sodoma depois de comerem uma refeição com Abraão debaixo de uma árvore, da qual participou o próprio Jeová em um corpo visível e tangível (Gn 18). Com tudo isso, o melhor é você descansar no fato de que Deus tem uma maneira de apresentar seres do plano espiritual e celestial de modo visível e tangível no plano físico material. Até o Espírito Santo já foi visto na forma de uma pomba no batismo de Jesus.

Outra possibilidade que existe para a cena da transfiguração é que os três — Jesus, Moisés e Elias — estariam ali verdadeiramente em corpos glorificados, porém não no mesmo momento em que a cena se desenrolava diante dos olhos dos três discípulos, mas numa fresta espaço-tempo através da qual os três discípulos podiam espiar e ver uma cena passando-se na eternidade, ou extra tempo. O fato de eles estarem conversando sobre a morte de Jesus que se daria em poucos dias (Lc 9:31) não é dificuldade alguma, pois a morte de Jesus é o assunto eterno nos céus, conforme Apocalipse 5, e a informação de que ela se daria em alguns dias pode ter sido dada apenas para situá-la no tempo, uma variável que não existe na eternidade.

Então, o melhor mesmo é simplesmente admitir que não sabemos tudo, mas apenas aquilo que nos foi revelado. Que estes fatos aconteceram, a Palavra de Deus afirma e a fé não irá negar, pois estão registrados e revelados. O modo como alguns desses fatos aconteceram nós só vamos descobrir na glória, mesmo porque são coisas que não dizem respeito exclusivamente à terra, mas aos céus e ao estado das coisas lá. Lembre-se do que Paulo disse de sua visita ao terceiro céu quando ouviu “palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar” (1 Co 12:4).