UM LEMA PARA O EVANGELISTA

2 Coríntios 10:16

ANUNCIAR O EVANGELHO nos lugares que estão além de vós." (2 Co 10:16) Enquanto demonstram a amplitude de coração do devotado apóstolo que tanto se negou a si mesmo, estas mesmas palavras também proporcionam um excelente modelo para o evangelista em qualquer época. O evangelho é um viajante, e o pregador do evangelho deve ser igualmente um viajante. O evangelista divinamente qualificado e divinamente enviado irá fixar seus olhos em "todo o mundo". Ele incluirá toda a família humana em seu benevolente desígnio. De uma casa a outra; de uma rua a outra; de uma cidade a outra; de uma província a outra; de um reino ao outro; de um continente ao outro; de um polo ao outro. Tal é a esfera de alcance das "boas novas" e, consequentemente, daquele que as anuncia. os "lugares que estão além"

— este deve ser sempre o grande lema do evangelho. Quando a lâmpada do evangelho nem bem tiver acabado de derramar seus raios de luz sobre uma região, aquele que a carrega já deve estar pensando nos "lugares que estão além". Assim a obra segue em frente; assim a poderosa mensagem de graça vai passando, em seu poder esclarecedor e salvador, sobre um mundo entenebrecido que jaz "na região e sombra da morte". (Mt 4:16) Levai, oh ventos, a história, E vós, oh águas, carregai, Como imenso mar de glória, De um polo ao outro a espalhai.

Leitor cristão: Será que você tem pensado nos “lugares que estão além” de você? Esta expressão poderá, em seu caso, significar a próxima casa, a próxima rua, a próxima vila, a próxima cidade, o próximo país ou o próximo continente. Deixo para o seu coração ponderar como deve aplicá-la; mas, diga-me, você tem pensado nos "lugares que estão além" de você? Não quero que, de modo algum, você abandone seu posto atual; ou pelo menos até que esteja certo de seu trabalho nesse posto estar terminado. Mas, lembre-se que o arado do evangelho nunca deve permanecer parado. "Ide" é o lema de cada verdadeiro evangelista.

Que os pastores permaneçam junto às ovelhas; mas que os evangelistas se transportem cada vez mais longe, para buscar as ovelhas. Que soem a trombeta do evangelho, por todo canto, sobre as tenebrosas montanhas deste mundo, a fim de congregar os eleitos de Deus. É este o plano do evangelho. E este deveria ser o objetivo do evangelista, enquanto coloca seus olhos nos "lugares que estão além". Quando César, da costa da Gália, vislumbrou os brancos rochedos da Bretanha, ansiou ao extremo fazer suas tropas chegarem lá. Por seu lado, o evangelista, cujo coração bate em uníssono com o coração de Jesus, ao lançar seu olhar sobre o mapa-múndi, anseia levar o evangelho da paz às regiões que até então estiveram engolfadas na negridão da noite; cobertas com o escuro manto da superstição, ou assoladas pelo vento seco de uma "aparência de piedade, mas negando a eficácia dela". (2Tm 3:5) Creio que será, para muitos de nós, de grande proveito nos questionarmos acerca do quanto de nossas sagradas responsabilidades estamos dedicando aos "lugares que estão além" de nós. Creio que o cristão que não esteja cultivando e manifestando um espírito evangelístico encontra-se numa condição verdadeiramente deplorável. Creio também que a assembleia que não esteja cultivando e manifestando um espírito evangelístico encontra-se em condição de morta. Uma das mais genuínas características de crescimento e prosperidade espiritual, seja em um indivíduo ou em uma assembleia, é o desejo sincero pela conversão das almas. Este anseio encherá nosso peito com as mais magnânimas emoções; sim, extravasar-se-á em copiosos mananciais de um exercício de benevolência, sempre a fluir em direção aos "lugares que estão além".

É difícil crermos que a "palavra de Cristo habite... abundantemente" em qualquer um que não esteja fazendo algum esforço para levar esta mesma palavra aos pecadores que o cercam. (Cl 3:16) Não importa qual seja o grau do esforço feito; pode ser apenas pingar algumas poucas palavras no ouvido de um amigo, dar um folheto, escrever um bilhete ou balbuciar uma oração. Mas uma coisa é certa: um cristão vigoroso e saudável será um cristão evangelista — um anunciador das boas novas — alguém cujas simpatias, desejos e energias estarão voltados para os “lugares que estão além”. "Também é necessário que eu anuncie a outras cidades o evangelho... porque para isso fui enviado." (Lc 4:43) Tal era a linguagem do verdadeiro Evangelista.

É bem duvidoso que muitos dos servos de Cristo não tenham errado quando se permitiram, por uma ou outra influência, ficar por demais localizados — por demais amarrados a um mesmo lugar. Acabaram caindo no trabalho de rotina — entraram num esquema de pregações fixas em um mesmo lugar e, em muitos casos, acabaram paralisando a si próprios e também a seus ouvintes. Não me refiro agora às atividades do pastor, do ancião ou daquele que ensina, as quais devem ser, obviamente, exercidas em meio àqueles que são o alvo apropriado de tais obras. Refiro-me mais particularmente ao evangelista. Alguém assim nunca deveria se permitir ficar sempre no mesmo lugar. O mundo é a sua esfera de ação — "os lugares que estão além", seu lema — congregar os eleitos de Deus, seu objetivo — a torrente do Espírito, seu caminho a seguir. Se o leitor for um desses que Deus chamou e capacitou para ser um evangelista, lembre-se destas quatro coisas: a esfera de ação, o lema, o objetivo e o caminho a seguir, o que todos deverão adotar se desejarem ser obreiros frutuosos no campo do evangelho.

Finalmente, seja o leitor um evangelista ou não, gostaria sinceramente de suplicar-lhe que examine o quanto tem buscado expandir o evangelho de Cristo.

Não podemos ficar ociosos. O tempo se abrevia! A eternidade se aproxima a passos largos! O Mestre é por demais Digno de nosso empenho! As almas são por demais preciosas! A estação propícia ao trabalho logo terminará! Estejamos, portanto, em nome do Senhor, despertos e ativos. E, quando tivermos feito o que pudermos nos lugares ao nosso redor, levemos então a preciosa semente para "OS LUGARES QUE ESTÃO ALÉM".